#Verificamos: É falso que Trump mandou superavião para apagar incêndios na Amazônia brasileira

Reprodução

por Maurício Moraes

Circula nas redes sociais um post com a afirmação de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviou para o Brasil um superavião de combate a incêndios, o Boeing 747-400 SuperTanker. A aeronave teria chegado em 24 de agosto com a missão de apagar as queimadas na Amazônia. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

Reprodução

“Enviado por Trump, chegou sábado dia 24 de agosto o Boeing 747-400 SuperTanker, especializado em combater queimadas florestais”
Legenda de post no Facebook que, até as 16h30 de 30 de agosto de 2019, tinha 769 compartilhamentos

FALSO

A informação, analisada pela Lupa, é falsa. O Boeing 747-400 SuperTanker não foi enviado para o Brasil, mas para a Bolívia, e o responsável por isso não foi Donald Trump. O governo boliviano contratou a empresa proprietária do superavião, a Global SuperTanker, por duas semanas, para combater os focos de incêndio naquele país. “Não fomos contratados até o momento [30 de agosto] pelo governo brasileiro”, afirmou o presidente da empresa, Dan Reese, em entrevista por telefone. O contrato pode ser prorrogado por mais tempo, o que impede a empresa, que só tem uma aeronave, de assumir outros compromissos.

O SuperTanker chegou à Bolívia em 23 de agosto. Naquela data, o presidente do país, Evo Morales, compartilhou um vídeo sobre o início das operações e outro sobre a ação da aeronave na Chiquitanía, área de transição entre a Amazônia e o Chaco. Também tuitou, dois dias depois, sobre a atuação da aeronave na Reserva Municipal de Vida Silvestre Tucabaca. Com capacidade para despejar 75 mil litros de água a uma velocidade de 965 quilômetros por hora, o avião já foi usado no combate a incêndios em países como Estados Unidos, Chile e Israel.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook