Lutador do UFC sobe duas categorias e explica: "Perdia 22kg para lutar"

·2 min de leitura
LAS VEGAS, NEVADA - JANUARY 15: Jake Collier reacts after his TKO victory over Chase Sherman in their heavyweight fight during the UFC Fight Night event at UFC APEX on January 15, 2022 in Las Vegas, Nevada. (Photo by Jeff Bottari/Zuffa LLC via Getty Images)
Jake Collier subiu para os pesos-pesado após fazer carreira no peso-médio. Foto: (Jeff Bottari/Zuffa LLC via Getty Images)

É sabido que a batalha dos lutadores contra a balança, por vezes, supera o confronto dentro do ringue ou do octógono, mas o relato do peso-pesado Jake Collier na coletiva de imprensa após a última edição do UFC Fight Night surpreendeu a todos presentes.

O lutador americano, que já esteve nas divisões peso-médio e também peso-meio-pesado entre os anos de 2014 e 2020, agora se estabeleceu na categoria que lhe faz sofrer menos para alcançar o peso máximo permitido.

Leia também:

Jake, que tinha como peso normal os 106kg, contou da sua luta para baixar suas medidas até a pesagem pré-luta: "Eu me matava para bater 84kg, porque meu peso normal era de 106kg. Eu chegava a 93kg e não tinha mais nada para cortar. Aquilo acabava comigo. Eu realmente estava matando o meu corpo. No peso-meio-pesado eu também precisava de um tempo para me recuperar. Hoje, no peso-pesado, eu estou me sentindo confortável. Normalmente eu vinha para as lutas tentando ser muito profissional. "Sem, senhor! Não, senhor!" Dessa vez eu quis ser eu mesmo e me divertir. Dar entrevistas sendo quem eu sou. Se não gostarem de mim, não tem problema. Eu não ligo. Vim aqui para lutar".

Collier participou do co-evento principal do último sábado e venceu Chase Sherman por finalização, algo também surpreendente, mas por Jake Collier não treinar jiu-jitsu e se considerar um "faixa-branca de elite".

Comentando sobre a vitória, o americano disse que: "Meu braço estava no queixo dele. Como eu queria melhorar a pegada, fui para um estrangulamento curto, para poder acertar socos também, se fosse preciso. Mas eu o ouvi gemer de dor, e vi que o negócio era apertar o quanto pudesse. Foi especial, porque foi a minha primeira finalização no UFC. Eu costumo nocautear ou ir para a decisão dos juízes, e agora finalizei. Foi bem legal, especialmente porque nunca coloquei um quimono na minha vida. Sou um faixa branca de elite (risos)".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos