Lutador de MMA conhecido como 'Distúrbio' é preso por vender drogas via aplicativo

·1 minuto de leitura

O lutador profissional de MMA Lucas Henrique Tavares Fonseca, de 36 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Civil na noite de sábado (28), com 800 gramas de maconha do tipo skunk, na Barra da Tijuca. A droga foi avaliada em R$ 8 mil.

Conhecido no octógono como "Distúrbio", o lutador teria confessado aos policiais que estava na Avenida do Pepê para vender os entorpecentes. As investigações conduzidas pelo setor de inteligência da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) apontam que as negociações das drogas eram feitas por meio do aplicativo WhatsApp.

Lucas é de Santa Catarina, e está no Rio de Janeiro desde o início de agosto. Segundo a polícia, ele atendia clientes abastados nas áreas nobres da cidade, na Zona Sul e Barra da Tijuca. Ele foi conduzido à Cidade da Polícia e autuado pela crime previsto no artigo 33 da Lei 11.343/06, que instituiu o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas. A pena é de cinco a 15 anos de reclusão, além de multa.

Em seu histórico em sites especializados do esporte, Distúrbio tem apenas uma luta registrada, uma vitória por finalização.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos