Luva de Pedreiro recupera passaporte, presente de Neymar e outros itens que estavam com ex-empresário

Iran de Santana Alves, o Luva de Pedreiro, recuperou 34 itens pessoais que estavam com o ex-empresário Allan Jesus em um apartamento no Rio de Janeiro. Além dos diversos presentes recebidos de clubes, empresas e celebridades do esporte, estavam seu passaporte e um par de chuteiras doadas por Neymar. As informações são do site Uol.

O que motivou a busca, na semana passada, foi justamente a necessidade do passaporte, objeto sem o qual Luva de Pedreiro não conseguiria viajar para o Marrocos, onde gravará um comercial. Além do passaporte, no local — que o influenciador não tinha acesso durante o contrato com o ex-empresário — estavam outros documentos, como CPF, comprovante de vacinação e carteira do SUS. Alguns itene pessoais do pai de Iran também estavam no local. Toda a carga foi levada para Recife, onde moram os pais do influenciador atualmente.

Já entre os presentes recebidos por Iran estavam luvas de MMA dadas de presente pelo lutador Rodrigo Minotauro, e diversas camisas de clubes do mundo todo, como Palmeiras, Sport, Borussia Dortmund e Tigres. A explicação de Allan Jesus era de que, como o influenciador passava mais tempo no Rio do que na Bahia, onde morava quando a fama começou, faria sentido que seus objetos ficassem lá.

De novo empresário, o ex-jogador de futsal Falcão, Luva de Pedreiro voltou a ter acesso aos seus perfis nas redes sociais. Ele comemorou sua volta ao Twitter, afirmando que recuperou o acesso. A publicação anterior data de 20 de junho, apontando para Iran ficando sem as informações da sua redes sociais por um mês.

No início da semana, também foi até São Januário a convite do Vasco e conheceu os executivos da 777 Sports, empresa dona dos direitos da SAF do clube, e o influenciador Casimiro, um dos primeiros a apontar as estranhezas da relação de Iran e o ex-empresário.

A rescisão do contrato por parte unilateral de Luva de Pedreiro é agora uma questão judicial. O influenciador não quer pagar a multa milionária, alegando que não tinha entendimento do texto do contrato no momento em que assinou. Já Allan Jesus quer receber um valor na casa dos R$20 milhões como indenização pelo fim do contrato, mas a defesa de Iran não aceitou o pedido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos