Mãe e filho em 'Pantanal', Letícia Salles e José Loreto vão ser amantes em 'Vai na fé': 'Relação extremamente tóxica', diz atriz

Se "Pantanal" deixou muito espectador órfão, talvez agora seja possível matar a saudade de alguns rostos que brilharam por lá. Mas num contexto bem diferente. Enquanto na trama rural que chegou ao fim o sertanejo bombava, a nova novela das sete “Vai na fé”, que estreia segunda-feira, aposta no mundo pop. Na festa de lançamento, por exemplo, na última terça-feira, José Loreto, que fez sucesso como o peão Tadeu, e Letícia Salles, a Filó da primeira fase do remake, arrasaram no palco mostrando o que podemos esperar de Lui Lorenzo e Érika na nova produção. Outra que vem direto do universo pantaneiro é Bella Campos, que faz seu segundo papel na Globo, agora como Jenifer. Animados, eles falam sobre o novo projeto!

Antes sofrida, agora Letícia Salles será fofoqueira, má e sexy

Érika é backing vocal da banda de Lui Lorenzo, com quem tem um caso, e trai a confiança dele passando informações para o perfil de fofoca de Anthony Verão (Orlando Caldeira). Após ser demitida, a moça vai migrar para o mundo das notícias sobre celebridades.

“Agradeço pela oportunidade de fazer uma personagem completamente diferente da minha estreia, em ‘Pantanal’. Estou me divertindo fazendo a Érika. Ela é fofoqueira, má e sexy. Quer ser protagonista da própria história, mesmo que isso prejudique outras pessoas. Essa relação com Lui é extremamente tóxica. Ela é apaixonada por ele, mas gosta mais de se dar bem. E adora ver o Lui se dar mal para isso”, antecipa Letícia, que encarou uma preparação intensa de dança para o papel: “Sempre fui amadora nesse quesito. Achava que arrasava nas festas, mas, depois de dançar mesmo, tudo caiu por terra (risos). A dança despertou coisas que eu não sabia sobre mim em relação à sensualidade e à autoestima”.

Um dia Muda, no outro, universitária!

Enquanto em “Pantanal” Bella Campos viveu Muda, que fingia não falar para vingar a morte de seus pais, na nova novela das sete a atriz vai viver uma estudante de Direito, primeira da família a entrar na faculdade.

“Jenifer é inspirada em várias garotas jovens e universitárias. Na faculdade, ela vai sofrer bullying, e acredito muito que vai conseguir se posicionar bem. Ela não vai deixar com que isso atrapalhe seus objetivos. Talvez isso até a impulsione ainda mais a buscar o que quer. Fico muito orgulhosa de estar contando essa história, espero que um dia a gente não precise mais partir desse ponto. Acredito que um dia a gente poderá ver uma família preta, com diploma e fazendo o que bem entende”, reflete.

O antigo peão agora rebola

Se em “Pantanal” o personagem de José Loreto, Tadeu, só assistia às rodas de viola, em “Vai na fé” é o ator que vai soltar a voz, com direito a músicas inéditas e coreografia.

“Tive pouco tempo de preparação. Saí de ‘Pantanal’ e já emendei ‘Vai na fé’. O elenco me recebeu de braços abertos, me entrosei rápido e entendi a energia da novela. Eu sou cantor de chuveiro, de caraoquê. Quando me disseram que teria que cantar e dançar, eu me aprofundei e estudei”, conta o ator, que confessa: “A pressão e a correria me fazem bem. Não gostaria de falar isso para os produtores e diretores, não (risos). Mas funciono assim”.

Bonito, sedutor e mulherengo, Lui faz o tipo sensual. Loreto o compara com Tadeu:

“A sensualidade de Tadeu morava em outro lugar, na introspecção. Lui é totalmente para fora. Um pavão. O signo dele é Leão. Ele tem uma personalidade muito própria. Tem muito do Magal, Latino, Luan Santana, é como uma colcha de retalhos. Ele está tentando se reinventar. Está sendo uma delícia esse desafio”.