Mãe e madrasta acusadas de espancar menina de 6 anos até a morte vão a julgamento em outubro

A juíza Priscila Dickie Oddo, da Vara Única da Comarca de Porto Real – Quatis, marcou para 19 de outubro a sessão de julgamento de Gilmara de Farias e de sua companheira Brena Luane Nunes. As duas são acusadas de espancar até a morte a menina Ketelen Vitoria da Rocha, de 6 anos, filha da Gilmara. O caso ocorreu em abril do ano passado em Porto Real, no Sul Fluminense.

Inquérito concluído: Anestesista sedou paciente estuprada sete vezes

Após ser agredida durante três dias pelas duas acusadas, na casa onde moravam, no bairro Jardim das Acácias, a criança foi levada para o hospital. Ketelen morreu em 24 de abril de 2021. O motivo para as agressões e sessões de tortura seria o fato de a menina ter bebido leite sem pedir autorização para a mãe e a madrasta.

A terceira acusada, Rosangela Nunes, mãe de Brena, que também morava na casa, teve o processo desmembrado, por ter recorrido da decisão da juíza de levá-la a júri popular. Rosangela é acusada por ter se omitido sobre a série de agressões sofridas pela menina Ketelen.

Segundo a denúncia do Ministério Público, entre 16 e 18 de abril do ano passado Gilmara e Brena agrediram Ketelen com socos, chutes, arremessos contra a parede, pisões e chicotadas, além de arremessarem a menina de um barranco de cerca de sete metros de altura. No dia 19, já agonizando, a menina foi levada ao hospital, morrendo cinco dias depois.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos