Mãe de menina morta por bala perdida no Turano passa mal e não vê o enterro da filha

Cintia Cruz
·1 minuto de leitura
Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

Apesar de ter sido baleada no colo da mãe, a menina Alice Pamplona da Silva de Souza, de 5 anos, foi sepultada sem a presença dela. Franciely da Silva se passou muito mal cerca de 40 minutos antes do horário previsto para o enterro. Cerca de cem pessoas acompanharam o cortejo do corpo da menina, no Cemitério do Caju. Alice foi atingida no pescoço, quando assistia aos fogos com a família, no Morro do Turano, na noite réveillon.

Franciely chegou ao cemitério por volta das 11h15. Cerca de uma hora depois, se sentiu mal e foi socorrida para o Hospital Municipal Souza aguiar. Minutos depois, a avó materna de Alice também precisou de atendimento médico.

Muito emocionados, familiares e amigos entoaram cânticos religiosos. No local do sepultamento, o caixão foi aberto e a madrinha de Alice, Mayara Aparecida se Souza, lembrou da alegria da menina:

— Não foi descuido, senhor. Ela morreu nos braços da mãe dela. Era uma criança que adorava dançar.

A Subsecretaria de Estado de Vitimados ofereceu atendimento psicológico e social para a família de Alice Pamplona da Silva de Souza, de cinco anos, que morreu vítima de bala perdida na madrugada de ontem (1⁰), na comunidade do Turano, na Zona Norte. A equipe psicossocial da pasta esteve no enterro da menina e segue acompanhando o caso.

Vídeo grava momento do tiro

Um vídeo feito por Mayara, a madrinha de Alice, mostra o momento do tiro que atingiu a menina. A família estava assistindo os fogos do muro da casa dela e ela resvolveu. Num trecho a menina fala "ai". A mãe pergunta o que foi e em seguida fala para Mayara: "Corre, Mayara, acho que minha filha tomou um tiro.