Mãe de Paulo Gustavo fala de 'despedida bonita' do filho no hospital

·1 minuto de leitura

Déa Lúcia, mãe de Paulo Gustavo, deu uma entrevista pela primeira vez sobre a saudade do filho, que morreu de Covid-19 no dia 4 de maio. A grande inspiração de Dona Hermínia, de "Minha mãe é uma peça", relatou os últimos momentos ao lado da família no hospital.

"A gente foi chamado no hospital porque ele teve morte cerebral. E nós quatro, Juju (irmã de Paulo), Júlio (o pai), eu e Penha (a quem o humorista chamava de 'mãedrasta'), ficamos ali. Juliana com uma mãozinha dele, eu na outra. O Thales (Bretas, o marido de Paulo) no pé e o Júlio fazendo carinho na cabeça. Cantamos a oração de São Francisco, porque ele sempre pedia desde pequeno para eu cantar a oração de São Francisco e eu cantava", relembrou Déa, ao "Fantástico".

Nesse momento de união, os batimentos de Paulo foram caindo aos poucos.

"A frequência foi caindo, caindo. Até ficar piscando (o aparelho). Aí parou, nós fechamos a cortina e saímos", disse Júlio.

Em que Déa completou:

"Foi uma despedida bonita".

O ator morreu no dia 4 de maio. Mesma data em que estreou "Minha mãe é uma peça" no teatro em 2006.

"Ele estreou num dia 4 de maio às 9 horas da noite e morreu no dia 4 de maio às 9h12 da noite. Ele começou um ciclo e terminou um ciclo. É incrível. Tudo dele é muito incrível", disse Déa.