Mãe de Paulo Gustavo pede respeito 'com quem realmente está de luto'

Déa Lúcia, mãe do ator Paulo Gustavo, fez um post no Instagram sobre luto para aqueles que dizem estar "de luto" pelo Brasil depois da derrota de Jair Bolsonaro (PL) na eleição de 2022. O presidente perdeu para Luis Inácio Lula da Silva (PT), que teve a maioria dos votos no segundo turno.

Na legenda do post, ela pediu "mais empatia e respeito com quem realmente está de luto", "em nome de todos que perderam seus entes queridos". O dia do segundo turno, 30 de outubro, foi aniversário de Paulo Gustavo. Se vivo, ele completaria 44 anos. Paulo morreu por complicações de Covid-19 no dia 4 de maio de 2021.

O texto das fotos começa com "tá de luto kerida, vem comigo e vamos falar sobre o luto". "Luto é uma dor forte, dilacerante e rasga a alma. Luto é preparar o café e esperar pelo outro, é perceber que aquele lugar está vazio, é as velas apagadas das datas comemorativas, é bater palmas para um ser invisível. É pegar o celular e aguardar aquela ligação, rever aquela foto, é abrir os braços e não ter quem abraçar. É passar a mão no colchão e não sentir mais o calor daquela pessoa, ver o quarto intacto e se perguntando quando ele para bagunçar. É sentir-se culpado por tentar ser feliz de novo".

"Luto é você acordar desesperado na madrugada com crise de pânico pedindo a Deus para trazer o outro de volta, é não saber o que fazer com as roupas, o perfume, a comida que o outro gostava. Luto é você tentar comer e a comida não descer, perder peso, isolar-se e recusar a viver. Luto é você guardar uma lembrança e chorar toda vez que escuta aquele nome. Luto é conversar com um concreto esperando que ele responda, é imaginar o outro do seu lado mesmo não estando. Você não está em luto, só está magoado porque suas vontades não foram atendidas", está escrito na segunda imagem.

Na terceira foto, o recado é mais contundente: "O luto merece ser respeitado, pessoas estão sofrendo de verdade e você brincando de luto por causa de um candidato. Se você sentisse a dor do luto, parava de brincar. O Brasil segue vivo, não seja um filho mimado, respeito o outro, somos um país democrata.

Sem mais!

Autor desconhecido"