Médico abandona ônibus, compra moto de 1981 e fura bloqueios na estrada entre RS e SC

Uma simples viagem de ônibus entre Porto Alegre e Florianópolis, que dura em média 5 horas, se transformou em um longo trajeto de 40 horas para o médico Vinicius Heurich, de 40 anos. Os bloqueios feitos em rodovias por bolsonaristas entre as duas capitais obrigaram o gaúcho a comprar uma moto usada para chegar ao seu destino final, trajeto concluído apenas na noite desta terça-feira.

Bolsonaro faz pronunciamento após derrota: acompanhe a repercussão política e as notícias dos bloqueios nas estradas

Entenda: em quais crimes os caminhoneiros que bloqueiam rodovias podem ser enquadrados

Ele havia deixado Porto Alegre, para onde tinha ido no sábado votar, por volta da 0h de segunda-feira. Ao chegar próximo à divisa com Santa Catarina, o ônibus parou e passou quatro horas sem se mover por conta de um dos bloqueios. Quando conseguiu se desvencilhar do engarrafamento, o veículo fez uma parada em um shopping da cidade de Sombrio, já em Santa Catarina.

— Passeando encontrei essa moto de coleção, que servia de decoração para uma loja de roupas, mas, por acaso, estava à venda — contou o médico, que cogitou então adquirir a Honda de 1981 como forma de agilizar a chegada a sua casa. — Perguntei: funciona? Nós testamos e funcionou.

Ele só conseguiu deixar Sombrio à noite, quando partiu para Araranguá, um município próximo.

Em primeiro pronunciamento após derrota: Bolsonaro condena atos de caminhoneiros e diz que seguirá Constituição

— Estava chovendo e fazia 20 anos que eu não andava de moto. Precisei dormir em um hotel lá e comprar roupas para a viagem — disse o médico, que passou a enfrentar problemas entre Araranguá e Florianópolis. — O velocímetro e o marcador de gasolina pararam de funcionar, o que me obrigava a parar de tempos em tempos para saber o quanto ainda ia conseguir andar. E aí o pedal de ignição quebrou.

Heurich conta que conseguiu parar em um posto de gasolina onde consertou o pedal da moto. Ele seguiu viagem após a chuva intensa que caía na região diminuir. O médico só foi pôr os pés em casa por volta das 18 horas desta terça-feira, após passar por quatro bloqueios.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), na tarde desta terça-feira havia 35 pontos de interdição nas estradas federais. A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) registrou outros 43 pontos de interdição nas rodovias estaduais.