Médico de alto cargo demitido alerta que EUA carece de 'um plano mestre' contra COVID

O médico Rick Bright antes de sua audiência na Câmara dos Deputados em Washington

Um médico demitido de seu alto cargo como responsável por desenvolver uma vacina contra o coronavírus alertou o Congresso dos Estados Unidos nesta quinta-feira (14) que o país carece de um plano mestre para a pandemia e não está preparado para distribuir vacinas suficientes.

Rick Bright, ex-chefe da agência governamental responsável pelo desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus, afirmou que o país enfrenta seu "inverno mais sombrio", sem liderança e sem um "plano mestre" para responder ao vírus.

A primeira parte do depoimento foi divulgada na quarta-feira e pela manhã o presidente Donald Trump descartou as declarações, desqualificando-o como um "funcionário insatisfeito" e afirmou que "com sua atitude, já não deveria estar trabalhando para o governo".

"Não estamos fazendo o que deveríamos", disse o médico, em um momento em que Estados Unidos é o país com mais mortos na pandemia, totalizando mais de 84.136.

O médico afirma que foi demitido após expressar sua preocupação com o uso da cloroquina e hidroxicloroquina para tratar a COVID-19.

"Os americanos merecem a verdade, uma verdade baseada na ciência, temos os melhores cientistas do mundo, deixe-nos falar sem medo de represálias", pediu Bright, que na semana passada apresentou uma queixa criticando que a resposta precoce do governo era insuficiente.