Médico boliviano é preso por injúria racial contra cozinheira de hotel em Mato Grosso

Louise Queiroga
·2 minuto de leitura

No interior de um hotel em Rondonópolis (MT), um médico de nacionadlidade boliviana, de 47 anos, foi preso por injúria racial contra uma funcionária, 43, e por desacato a policiais na abordagem, nesta terça-feira, dia 13. Também são explicitados, no boletim de ocorrência, os delitos de resistência e desobediência.

De acordo com a Polícia Militar, a denúncia dizia que um homem, hospedado havia cerca de um mês naquele estabelecimento, no bairro Jardim Esmeralda, estava "em visível estado de embriaguez" quando começou a xingar a cozinheira.

Em comunicado, a Polícia Civil informou que a recepcionista do hotel presenciou as ofensas e disse que o homem quebrou garrafas de cerveja no quarto, invadiu o cômodo de outra pessoa, recusou-se a sair, e ainda xingou uma hóspede, além dos próprios PMs que efetuaram a prisão.

Os funcionários relataram à polícia que o autor das ofensas "vem apresentando tais comportamentos há vários dias, causando transtorno ao andamento do hotel".

Por fim, o suspeito foi conduzido para a 1ª Delegacia da Polícia Civil de Rondonópolis, onde foi ouvido pelo delegado plantonista e em seguida autuado em flagrante pelos crimes de injúria mediante preconceito, resistência desobediência e desacato. Depois, foi encaminhado para audiência de custódia do Poder Judiciário. A identidade dele não foi revelada.

Nas redes sociais, o caso gerou revolta entre os moradores do município, que criticaram duramente as atitudes do médico. Um mulher, que se identificou como amiga da vítima, relatou que o indivíduo "sempre chegava embriagado".

"Essa funcionária é minha amiga. Sai pra trabalhar à noite como cozinheira deste hotel para o sustento dela e de sua filha. E passou por este constrangimento, esta humilhação", afirmou, acrescentando já ter ajudado a cozinheira algumas vezes para atender aos pedidos do referido hóspede. "Mesmo depois dos pedidos já estarem encerrados ela sempre fazia alguma coisa pra ele jantar, pois sempre chegava embriagado. Estou profundamente horrorizada com este cidadão".