Médico explica o que pode ter acontecido com jogador da NFL: ‘extremamente raro’

O acidente envolvendo o atleta Damar Hamlim durante uma partida da NFL (liga profissional de futebol americano) nesta segunda-feira, que o deixou em estado crítico, pode ter ocorrido por conta de o impacto sofrido por ele, na região do tórax, ter ocorrido no intervalo curto entre batimentos do coração. O defensor de 24 anos, em sua segunda temporada com o Buffalo Bills, está em estado crítico em um hospital depois de sofrer uma parada cardíaca durante um jogo contra o Cincinnati Bengals, informou o clube da vítima.

Damar Hamlin: jogador está em 'condição crítica' após choque na NFL, dizem Bills em nota

Buffalo Bills: equipe confirma que atleta da NFL teve uma parada cardíaca

Segundo o cardiologista Scott Jerome, professor da Universidade de Maryland, o caso teria ocorrido por uma questão de milissegundos, com o momento exato do impacto tendo sido determinante para a gravidade da lesão.

— Se você for atingido no peito, se isso acontecer entre os batimentos cardíacos em uma janela muito pequena, pode colocar o coração em fibrilação ventricular. O coração para de bater — disse Jerome, em entrevista ao jornal Baltimore Sun.

Os dirigentes da equipe disseram em um comunicado na terça-feira que o coração de Hamlin parou depois que ele foi atingido durante uma jogada no primeiro quarto. Seu batimento cardíaco foi restaurado pela equipe médica em campo antes de Hamlin ser levado ao Centro Médico da Universidade de Cincinnati, informou o clube, acrescentando que o atleta estava passando por “testes e tratamentos adicionais” e havia sido sedado.

Após analisar imagens do lance, Jerome disse que Hamlin parecia ter sofrido “commotio cordis”, expressão do latim para “agitação do coração”, ao ter sido atingido no peito em um determinado momento do ciclo do ritmo cardíaco, o que causa uma interrupção no sinal elétrico do coração e uma parada cardíaca.

— [O fenômeno ocorre em] Uma janela muito estreita — disse Jerome, apontando que atletas mais jovens são mais vulneráveis em comparação com profissionais mais velhos, que são mais capazes de absorver o golpe. — Esses jogadores de futebol são musculosos e têm muito mais força de absorver o golpe.

A ocorrência do commotio cordis é rara, com menos de 30 casos relatados a cada ano, de acordo com um artigo da National Library of Medicine. Jerome disse que o prognóstico pode ser “muito bom” para Hamlin, já que “eles [equipe médica] tinham todo o equipamento médico em campo” para realizar os primeiros socorros.

Colapso

Com cerca de nove minutos de jogo na noite de segunda-feira, Hamlin se chocou com o adversário do Bengals, Tee Higgins, após uma recepção de 13 jardas. Higgins colidiu com Hamlin a toda velocidade, atingindo-o na cabeça e na área do peito. Hamlin rapidamente se levantou, deu dois passos e caiu para trás, e seu corpo ficou mole.

A equipe médica fez reanimação cardiorrespiratória e o atendeu por 10 minutos, enquanto os jogadores de ambas as equipes estavam visivelmente preocupados, alguns derramando lágrimas na linha lateral, enquanto outros circulavam juntos e se ajoelhavam em oração. Um profissional médico apareceu para administrar um medicamento intravenoso. Hamlin foi posteriormente colocado em uma maca e transportado para o hospital.

Trauma torácico: entenda a lesão de Jeremy Renner, o ator de 'Gavião Arqueiro'

Os fãs presentes no Paycor Stadium, que ficaram em silêncio durante a provação, aplaudiram quando a ambulância partiu.

O colapso de Hamlin foi testemunhado por milhões de telespectadores que estavam sintonizados na transmissão do “Monday Night Football” da ESPN. O jogo foi suspenso por mais de uma hora antes que os dirigentes da National Football League anunciassem que o jogo havia sido adiado.

— Nenhum dos treinadores estava falando sobre retomar o jogo, os jogadores não estavam pensando em retomar o jogo — disse Troy Vincent, vice-presidente executivo de operações de futebol da NFL. — Como você retoma o jogo depois de ver um evento tão traumático? — acrescentou.