Médicos retiram sonda de Bolsonaro e voltam com alimentação líquida

JOELMIR TAVARES
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, 07.05.2019: O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assina decreto que flexibiliza regras de armas para atiradores, caçadores e colecionadores, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os médicos retiraram a sonda nasogástrica do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que apresenta evolução positiva em sua recuperação, segundo boletim médico divulgado nesta sexta (13).

A sonda, que ficava conectada ao nariz do paciente e ia até o estômago, foi colocada na terça-feira (10) e removida nesta sexta. O tubo tinha a função de ajudar na saída da grande quantidade de ar que se acumulou no estômago e no intestino do presidente.

Bolsonaro voltou a receber a dieta líquida (chá, gelatina, caldo ralo), que havia sido suspensa também na terça e substituída pela nutrição parenteral endovenosa (pelas veias). Por enquanto, contudo, serão mantidas as duas formas de alimentação.

O presidente está internado no Hospital Vila Nova Star, na região sul de São Paulo, onde foi submetido no domingo (8) à quarta cirurgia desde que sofreu uma facada durante um ato de campanha em setembro de 2018.

As visitas continuam restritas e não há previsão de alta até o momento.

Segundo o médico Antonio Macedo, a estimativa é que ele seja liberado "em três a quatro dias", mas o prazo pode variar de acordo com o quadro clínico.

De acordo com o Planalto, ele se sente bem disposto e fez caminhadas.