Médicos retiram sonda, e Bolsonaro segue internado em SP sem previsão de alta

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO — O presidente Jair Bolsonaro mantém evolução clínica "satisfatória", mas segue sem previsão de alta hospitalar, segundo boletim médico divulgado na noite desta quinta-feira (15) pelo Hospital Vila Nova Star. O texto diz ainda que foi retirada a sonda naso-gástrica do presidente e que está planejado para esta sexta-feira o início de sua alimentação.

Internado no oitavo andar do Vila Nova Star, Bolsonaro deve começar a receber alimentação líquida. Até o início da noite, usava uma "sonda nasogástrica aberta”, tubo introduzido no nariz até o estômago. O aparelho, que foi implantado no Hospital das Forças Armadas em Brasília, era usado para drenar o líquido acumulado no organismo.

O presidente também recebe pela veia antibióticos e soro para hidratação.

Bolsonaro foi internado no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, na madrugada de quarta-feira, reclamando de dores no abdômen. Os médicos diagnosticaram obstrução intestinal, um bloqueio que impede o caminho normal do órgão e que pode ser resultado da sequência de cirurgias feitas após a facada que Bolsonaro recebeu durante um ato de campanha em setembro de 2018.

No meio da tarde, ele foi transferido para São Paulo, onde passou por novos exames para avaliar a necessidade de uma nova cirurgia. Comandados pelo cirurgião Antonio Luiz Macedo, os médicos concluiram que o presidente deveria ser submetido a um tratamento clínico convencional.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos