México confirma 23 casos da variante ômicron no país

·2 min de leitura
Pessoas descansam após receberem vacina anticovid-19 da AstraZeneca, no 1º de aplicação da 3ª dose para pessoas acima de 60 anos, no Centro de Estudos Superiores Navais (CENCIS), na Cidade do México, em 7 dez. 2021 (AFP/Pedro PARDO)

O México tem 23 casos confirmados da variante ômicron do coronavírus, todos com sintomas leves - informou o subsecretário de Saúde e porta-voz da estratégia do governo contra a covid-19, Hugo López-Gatell, na terça-feira (21).

"Até o momento, temos 23 amostras identificadas do mesmo número de pessoas", disse o responsável durante a conferência matinal do presidente Andrés Manuel López Obrador.

Os casos confirmados estão distribuídos na Cidade do México (16), Estado do México (6) - ambos no centro do país - e Tamaulipas (1), no nordeste. A média de idade das pacientes é de 45 anos e três são casos importados, detalha um relatório da secretaria da Saúde.

Outros três casos na capital mexicana e um no estado de Sinaloa (noroeste) são analisados para determinar se pertencem à nova variante, acrescentou.

Segundo López-Gatell, até agora, todas as pessoas confirmadas com ômicron apresentaram "sintomas leves", e "nenhuma foi internada por motivos de saúde".

"O único foi o caso inicial que anunciamos há duas semanas, que se hospitalizou de maneira voluntária para prevenir contágios", acrescentou López-Gatell.

O primeiro caso de ômicron no México foi de um cidadão sul-africano, de 51 anos, que chegou ao país em 21 de novembro e foi confirmado pelo governo em 3 de dezembro.

López-Gatell ressaltou que 70% das 23 pessoas identificadas com a variante não foram vacinadas, lembrando que a imunização é a principal medida preventiva contra o vírus.

O chanceler Marcelo Ebrard anunciou, por sua vez, que acompanhará o presidente López Obrador na reunião por videoconferência, nesta terça, com o secretário de Estado americano, Antony Blinken, para tratar do avanço da ômicron na região.

No México, a pandemia se estabilizou há pelo menos três meses. O país registra um balanço total de 3,93 milhões de casos confirmados e 297.916 óbitos, segundo dados oficiais.

jla/llu/tt/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos