México contradiz EUA e nega suspensão de voos europeus

O chanceler do México, Marcelo Ebrard, participa de entrevista coletiva na capital

O chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, afirmou nesta sexta-feira que o México não suspendeu os voos europeus para conter a propagação do novo coronavírus, ao contrário do anunciado pelo presidente americano, Donald Trump, mas reconheceu que estuda aplicar restrições.

"A posição mexicana é a de não suspender voos. Não mudamos essa posição, mas o que sim, entendemos, é que deve haver diferentes tipos de restrição, então estamos neste diálogo", disse Ebrard em entrevista coletiva.

Trump disse hoje que, como parte de esforços coordenados entre os dois países para conter a propagação do novo coronavírus, o México proibiria os voos procedentes da Europa, que se tornou o epicentro da pandemia. Mas o chefe da chancelaria mexicana afirmou que a medida ainda está em discussão.

"O secretário Pompeo me manifestou a preocupação dos Estados Unidos com a possibilidade de que cheguem ao México pessoas que possam ser portadoras do vírus, e disse a ele que também temos esta preocupação", indicou o chanceler.

México e Estados Unidos anunciaram hoje um plano conjunto para restringir as viagens não essenciais através da fronteira compartilhada, em resposta à pandemia de Covid-19, mas sem afetar o comércio.

Os Estados Unidos proibiram a chegada de visitantes da maioria dos países europeus, China e outras partes do mundo. Já o México se mantém em transição para a fase 2 da contingência sanitária, que contempla o distanciamento social, fechamento de escolas, restrição de viagens e implementação do trabalho remoto.