México homenageia família de Assange em nome da 'liberdade de expressão'

O pai e o irmão de Julian Assange, o fundador da WikiLeaks acusado de espionagem pelos Estados Unidos, receberam homenagens em nome da “liberdade de expressão” da prefeita da Cidade do México, capital do país que oferece asilo ao jornalista australiano.

Claudia Sheinbaum entregou simbolicamente a John Shipton, o pai de Assange, as chaves da capital mexicana, que “sempre foi uma cidade refúgio, uma cidade progressista”. Em resposta, Shipton disse se sentir tocado “até as lágrimas”.

O papel de Assange é um de “David contra Golias”, afirmou, por sua vez, o porta-voz da Presidência do México, Jesús Ramírez, que reconheceu sua luta “pela liberdade de expressão”.

Em julho, o presidente Andrés Manuel López Obrador garantiu que seu governo está pronto para fornecer “proteção e asilo” a Assange. Também disse que entregou uma carta com tal proposta ao presidente americano Joe Biden.

O australiano, de 51 anos, pode ser condenado nos Estados Unidos a 175 anos de prisão se for considerado culpado de espionagem por divulgar, em 2010, em seu site WikiLeaks, mais de 700 mil documentos confidenciais sobre as atividades militares do país, em especial no Iraque e Afeganistão.

Desde 2019, Assange está detido na prisão de alta segurança de Belmarsh, em Londres. O governo britânico já concedeu sua extradição, mas o jornalista recorreu.

st/jla/yow/ic/mvv