México recebe segundo lote de vacinas contra a covid-19

·2 minuto de leitura
Militar da área da saúde recebe vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 no Hospital Geral do México em 24 de dezembro de 2020

O México recebeu neste sábado (26) um segundo lote de 42.900 doses da vacina contra a covid-19, desenvolvida pela associação farmacêutica Pfizer/BioNTech, segundo imagens transmitidas pela televisão no aeroporto da capital mexicana.

A carga chegou às 11h45 de Brasília em um avião procedente da Bélgica, que era esperado na pista por diretores do Instituto Mexicano do Seguro Social (IMSS), da chancelaria mexicana e da Marinha.

Do total de imunizantes, 34.125 doses chegarão à capital mexicana, e 8.775 irão para a cidade de Monterrey (Nuevo León, norte) para serem aplicados na próxima segunda-feira em um segundo ciclo de inoculação para pessoal médico, informou a Secretaria de Saúde.

"No dia de hoje, damos continuidade a um marco na saúde pública", disse à imprensa Miriam Veras, diretora-geral do Centro Nacional para a Saúde da Infância e da Adolescência.

Um primeiro lote de 3.000 doses da vacina desenvolvida pelas empresas americana e alemã chegou ao México na quarta-feira passada e um dia depois o país iniciou sua campanha de imunização.

O México assumiu, assim, a dianteira na vacinação de seu pessoal sanitário juntamente com o Chile e a Costa Rica, que na quinta-feira também começaram seu plano de imunização com a mesma vacina.

Com esta segunda remessa, o México chega a 45.900 doses das 34,4 milhões de que as farmacêuticas se comprometeram a entregar até o segundo semestre de 2021 em acordos com o governo.

A primeira fase da vacinação será concentrada no pessoal médico encarregado do combate à covid-19, que deixou 2.330 trabalhadores sanitários falecidos entre médicos, enfermeiras, maqueiros e funcionários de limpeza.

Em três semanas será aplicada a segunda dose, como requer o tratamento da Pfizer/BioNTech.

"É estratégico proteger aos que nos protegeram e continuam protegendo durante todo este ano", disse Zoé Robledo, diretor do Instituto Mexicano do Seguro Social (IMSS), durante a recepção das vacinas.

A partir de fevereiro de 2021 e até 2022 será estendida à população em geral, segundo sua idade e nível de risco.

A pandemia deixou 121.837 mortos e 1.372.243 contagiados no México, com 129 milhões de habitantes, segundo cifras oficiais divulgadas nesta sexta.

O país assinou convênios de 1,659 bilhão de dólares com diferentes laboratórios para comprar até 200 milhões de doses que permitirão imunizar, de graça, até 116 milhões de mexicanos entre 2020 e 2021, segundo a secretaria de Fazenda.

nc/ll/mvv