México vai rifar casa de onde "Chapo" Guzmán escapou

·2 minuto de leitura
Uma modelo serve uma tequila da marca "El Chapo 701" em Guadalajara, México, 12 de fevereiro de 2020

Uma casa da qual o narcotraficante Joaquín "Chapo" Guzmán, condenado à prisão perpétua nos Estados Unidos, escapou em 2014 está entre os diversos bens que o governo mexicano sorteará no dia 15 de setembro.

A casa, localizada no sul de Culiacán, capital do estado de Sinaloa (noroeste), tem um valor de 3,6 milhões de pesos (cerca de 184 mil dólares) e uma área de 395 metros quadrados, segundo o site da Loteria Nacional.

Com fachada branca e sem luxos aparentes, a casa faz parte de uma rifa anunciada em meados de junho que vai conceder 248 prêmios em bens e em dinheiro no valor de 250 milhões de pesos (cerca de 12,5 milhões de dólares).

Em 16 de fevereiro de 2014, Guzmán fugiu das autoridades pela drenagem subterrânea do prédio, embora seis dias depois tenha sido capturado na cidade de Mazatlán, também em Sinaloa.

Guzmán foi enviado para uma prisão de segurança máxima em 2015, mas também escapou de lá. O chefe do tráfico foi finalmente preso em 2016 e extraditado no ano seguinte para os Estados Unidos.

O governo do presidente de esquerda Andrés Manuel López Obrador já havia tentado leiloar a casa junto com outros bens apreendidos do crime organizado, mas sem sucesso.

López Obrador disse na ocasião que o dinheiro arrecadado irá para educação e saúde.

Além disso, o governo também vai sortear uma casa no luxuoso bairro de Pedregal, no sul da Cidade do México, que pertenceu a Amado Carrillo ("O Senhor dos Céus"), o falecido líder do cartel de Juarez.

A mansão tem mais de 3.000 metros quadrados e está avaliada em pouco mais de 77 milhões de pesos (cerca de 3,8 milhões de dólares).

Outro prêmio será um camarote no lendário Estádio Azteca, onde foram disputadas as finais das Copas do Mundo de 1970 e 1986, avaliado em um milhão de dólares.

Este evento evoca o sorteio promovido para o avião presidencial mexicano, em 2020, que acabou sendo um sorteio de 2.000 milhões de pesos (100 milhões de dólares), valor próximo ao do avião.

López Obrador optou pelo sorteio do Boeing 787 Dreamliner, dada a dificuldade de venda. O presidente esquerdista chamou o avião de "faraônico" e considerou-o um "insulto" diante da pobreza que atinge metade dos 126 milhões de mexicanos.

yug/axm/llu/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos