Turquia prorrogará estado de emergência vigente desde 2016 pela oitava vez

Istambul, 17 abr (EFE).- O Conselho de Segurança do Estado da Turquia, um órgão composto pelo pela cúpula do governo e os comandantes das Forças Armadas, recomendou nesta terça-feira uma nova prorrogação do estado de emergência no país, vigente desde o fracassado golpe de Estado de julho de 2016.

"O Conselho decidiu recomendar ao governo a extensão do estado de emergência. A medida é necessária para proteger os direitos e as liberdades dos cidadãos durante a luta contra as organizações terroristas em todo o país", afirmou o órgão em comunicado.

O texto cita três ameaças principais. Em primeiro lugar, a confraria do clérigo turco Fethullah Gülhen, exilado nos Estados Unidos, acusado pelo governo da Turquia de ter organizado o fracassado golpe de Estado de 2016.

As outras ameaças destacadas são o Estado Islâmico (EI) e o complexo dos movimentos guerrilheiros curdos, unindo em um só item o Partido de Trabalhadores do Curdistão (PKK), as Unidades de Proteção Popular (YPG) e o grupo político ligado a elas, o Partido de União Democrática (PYD).

Desde o levante em julho de 2016, o estado de emergência foi renovado a cada três meses por recomendação do Conselho de Segurança Nacional. A extensão foi referendada facilmente no parlamento controlado pelo Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), liderado pelo presidente do país, Recep Tayyip Erdogan.

Com base na medida, foram demitidos mais de 120 mil funcionários públicos. EFE