Cartes descarta qualquer possibilidade de tentar reeleição em 2018

Assunção, 17 abr (EFE).- O presidente paraguaio, Horacio Cartes, anunciou nesta segunda-feira que não se apresentará sob hipótese alguma como candidato à presidência nas eleições de 2018, possibilidade colocada em um projeto de reeleição que provocou uma onda de violência em Assunção no final do mês passado.

Cartes informou sua decisão ao titular da Conferência Episcopal do Paraguai, Edmundo Valenzuela, em carta que ele mesmo divulgou em seu perfil no Twitter.

"Tenho a honra de me dirigir a vossa excelência, para pôr a seu conhecimento que tomei a decisão de não me apresentar, em nenhum caso, como candidato a presidente da república para o período constitucional 2018-2023.", diz o texto.

"Espero que este gesto de renúncia sirva para o aprofundamento do diálogo dirigido ao fortalecimento institucional da república, em harmônica convivência entre os paraguaios", acrescenta Cartes.

O governante anuncia sua decisão no mesmo dia em que o Partido Liberal, o maior da oposição, convocou uma manifestação para amanhã em Assunção contra o projeto de emenda que permite um segundo mandato constitucional, proibido por lei.

Para terça-feira também prevista estava a terceira sessão da mesa de diálogo convocada por Cartes para tratar da crise criada e na qual não participou o Partido Liberal, que exigia a retirada desse projeto como condição para estar no fórum.

Cartes chamou ao diálogo após os incidentes registrados em 31 de março em Assunção, nos quais manifestantes contra o projeto de emenda incendiaram parte do Congresso.

Horas depois um militante do Partido Liberal morreu possivelmente atingido por um tiro disparado por um policial, que com invadiu a sede da formação com outros agentes.

A violência começou depois que 25 senadores aprovaram o projeto de emenda promovido pelo Partido Colorado, de Cartes, e pelaa Frente Guasú, do ex-presidente Fernando Lugo. EFE