Mísseis russos atingem porto na Ucrânia; Kiev diz que ainda prepara exportações de grãos

Por Natalia Zinets

KIEV (Reuters) - Mísseis russos atingiram o porto de Odessa, no sul da Ucrânia, neste sábado, disseram militares ucranianos, ameaçando o acordo firmado na véspera para liberar as exportações de grãos dos portos do Mar Negro e aliviar a escassez global de alimentos causada pela guerra.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, disse que o ataque mostrou que não se pode confiar na Rússia para a implementação do acordo. No entanto, segundo a emissora pública Suspilne, os militares ucranianos disseram que os mísseis não causaram danos significativos e um ministro do governo disse que os preparativos para retomar as exportações de grãos dos portos do Mar Negro do país continuam.

O acordo assinado na sexta-feira por Moscou e Kiev --mediado pela Organização das Nações Unidas e pela Turquia-- foi saudado como um avanço após quase cinco meses de combates desde que a Rússia invadiu seu vizinho. A negociação é vista como crucial para conter a alta global de preços de alimentos, permitindo que as remessas de grãos sejam enviadas de portos do Mar Negro, incluindo Odessa.

De acordo com o ministro da Defesa da Turquia, autoridades russas disseram à Ancara que Moscou "não tem nada a ver" com os ataques ao porto de Odessa. A declaração deste sábado do Ministério da Defesa da Rússia descrevendo o progresso na guerra não menciona nenhum ataque em Odessa. O ministério não respondeu ao pedido de comentário da Reuters.

O ataque aparentemente viola os termos do acordo de sexta-feira, que permitiria a entrada e saída segura de Odessa e de outros dois portos ucranianos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos