Música de Ludmilla é alvo de denúncia de deputado na PF e no MP por apologia às drogas; cantora reage

Leonardo Ribeiro
Ludmilla no clipe de "Verdinha"

A nova música de Ludmilla, "Verdinha", virou assunto na Câmara dos deputados. O parlamentar Junio Amaral (PSL/MG) registrou uma notícia-crime na Polícia Federal (PF), protocolou uma representação ao Ministério Público Federal (MPF) pedindo a imediata retirada de circulação do single e fez um requerimento, durante a Comissão de segurança pública e combate ao crime organizado, da Câmara, para aprovar o repúdio à canção por fazer "clara apologia à prática de condutas criminosas, como o plantio, a venda e o consumo de drogas".

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

A cantora criticou o requerimento:

"Milhões de brasileiros desempregados, sem moradia, hospitais sem vagas, a violência predominate, a questão ambiental, a rede pública de educação miserável, mas o maior problema que o Brasil tem no momento é uma música que fala de alface. Brincam mais que a brincadeira", escreveu Ludmilla no Twitter.

Leia também

Na justificativa dada pelo deputado, "pessoas famosas exercem influência na sociedade e principalmente na formação de crianças e adolescentes" e é "extremamente prejudicial a exibição pela mídia de entrevistas, declarações, filmes, novelas, músicas ou comerciais, difundindo a droga como algo positivo, charmoso e até inofensivo".

O texto lembra ainda que há uma lei que estabelece pena de um a três anos de prisão para quem "induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido de droga", assim como o Código Penal prevê detenção de três a seis meses para quem fizer publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime.

Vale lembrar que em 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que falar sobre a maconha, assim como defender a sua legalização, não são considerados apologia ao crime.