Músicos protestam contra fechamento do Clube do Choro de São Paulo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Membros e simpatizantes do Clube do Choro realizam nesta quarta-feira (12) um protesto contra o congelamento de verbas da Prefeitura de São Paulo, medida que implicou o corte de orçamento dedicado à manutenção do grupo e o despejo de sua sede no Teatro Arthur de Azevedo, na Mooca.

Eles farão uma roda de choro em frente à prefeitura, a partir das 11h, e, em seguida, partirão para a Galeria Olido, sede da Secretaria Municipal de Cultura.

Desde a reinauguração do teatro, após quatro anos de reformas, em agosto de 2015, o grupo realizava aos sábados rodas de choro com ingresso gratuito, além de outras atividades, inclusive educativas.

Na semana passada, após receberem a notícia do congelamento, os músicos protestaram com cartazes e instrumentos durante pronunciamento do secretário de Cultura da capital, André Sturm, na Câmara Municipal. O clube teria direito a R$ 500 mil no orçamento deste ano.

Artistas como o bandolinista Hamilton de Holanda e o compositor Eduardo Gudin foram alguns dos que manifestaram apoio ao clube, publicando vídeos nas redes sociais aos moldes do que fizeram os músicos da Banda Sinfônica de SP, também afetada pelo contingenciamento de verbas.