M. Dias Branco compra Jasmine e avança no ramo de alimentos saudáveis

A indústria de alimentos cearense M. Dias Branco comprou a marca Jasmine, de “snacks saudáveis”. Conforme a própria companhia, a operação a coloca na liderança do segmento, que envolve alimentos integrais, orgânicos, sem glúten, sem lactose ou zero açúcar.

– Esta é uma tendência mundial e uma aquisição estratégica para a nossa companhia – disse a respeito da operação o presidente da M. Dias Branco, Ivens Dias Branco Júnior, por meio de comunicado transmitido pela empresa. Segundo ele, o segmento de alimentos saudáveis tem uma taxa de crescimento anual composto (CAGR) estimada em 5,3%, até 2025, bem acima dos 3,6% previstos para indústria alimentícia em geral, em média.

O valor pago não foi informado, mas comenta-se no mercado que a operação movimentou R$ 350 milhões, número que também não foi confirmado pelas partes envolvidas. O negócio é parte de uma série de movimentações estratégicas que a companhia tem feito nos últimos anos para ocupar mais espaço nesse ramo de alimentação saudável.

Em setembro do ano passado, a M. Dias Branco já havia adquirido a Latinex, que assim como a Jasmine é de Curitiba, no Paraná. Com essa operação, incorporou ao seu portfólio as marcas Fit Foods e Frontera, de ‘snacks’, e Smart, de temperos, agora incrementado pela Jasmine.

Com mais essa compra, chega a 140 a variedade de produtos que sai das linhas de produção da M. Dias Branco. Entre as diversas marcas que já absorveu estão Piraquê, Vitarella, Adria, Fortaleza e Isabela.

A Jasmine tem 95% do seu portfólio composto por produtos veganos. A exceção se deve aos itens que levam mel de abelhas em sua composição. A marca é referência e líder no mercado de granolas, pães sem glúten e biscoitos integrais, conforme a nova compradora informou em comunicado, citando como fontes as consultorias Scanntech e Nielsen.

Fundada em 1990 por um casal adepto da alimentação saudável, a Jasmine foi adquirida em 2014 pela multinacional francesa Nutrition et Santé. Agora, a operação está submetida ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos