'Macaco preto': empresário é alvo de ataque racista em discussão por açaí

Vendedor de açaí foi alvo de ataque racista porque produto já era batido com banana (Foto: Reprodução/SBT)
Vendedor de açaí foi alvo de ataque racista porque produto já era batido com banana (Foto: Reprodução/SBT)

Resumo da notícia

  • Vendedor de açaí foi alvo de ataque racista na cidade de Taguatinga, no DF

  • Cliente chegou ao local e pediu açaí sem banana; ao ouvir que não havia esta opção, xingou vendedor de "macaco"

  • A vítima, Paulo Figueira, afirmou que registraria um boletim de ocorrência contra a agressora

Paulo Vitor Silva Figueira, dono de um quiosque de açaí em Taguatinga, no Distrito Federal, foi alvo de um ataque racista. O caso aconteceu na última segunda-feira (9) e a responsável pelas ofensas foi uma cliente.

O empresário registrou o momento dos ataques, ao gravar as ofensas pelo celular. Ele é atacado verbalmente e xingado pela mulher de “macaco, preto, idiota, palhaço, ridículo, ET, inútil, pateta”.

Em entrevista à TV Globo, Paulo Figueira contou que a cliente queria o açaí sem banana, mas o açaí vendido por ele é previamente batido com banana e xarope de guaraná. Quando o vendedor informou as condições do produto para a mulher, foi xingado.

No vídeo gravado por Paulo, a mulher é ouvida dizendo: “Faz meu açaí. Quem manda aqui sou eu. Você está na minha cidade”. Ele, então, diz que não a atenderia. A mulher brigou, sentou em uma cadeira do local e, quando ouviu novamente que não seria atendida, respondeu “veremos”.

À Globo, Paulo afirmou que nunca tinha passado por um constrangimento como esse. “Nem pessoal, nem na loja. Não tinha presenciado nada perto disso”, disse. O vendedor contou ainda que não é a primeira vez que a mulher vai ao local e, na região, ela é conhecida por tratar mal as pessoas.

Paulo Figueira disse ainda que, nesta quarta (11), pretendia registrar um boletim de ocorrência contra a mulher.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos