'Maconha eu liberaria', diz Meirelles em entrevista

Renato S. Cerqueira/Futura Press

O ex-ministro Henrique Meirelles, pré-candidato pelo MDB, mostrou uma agenda mais progressista que os demais presidenciáveis de centro, declarando ser a favor da legalização da maconha. “Principalmente se for para uso medicinal. Maconha eu liberaria”, disse em entrevista à revista Istoé, divulgada na última semana.

“Acho que a maconha é uma questão de direito individual. Não devemos penalizar e criminalizar o consumidor”, declarou. “Maconha eu liberaria, mas dentro de algumas restrições, com controle rígido, como outros países fazem”, continuou.

Meirelles não evitou outros temas polêmicos, como aborto e redução da maioridade penal, defendendo o primeiro em determinados casos.

“Pessoalmente não sou favorável em um casamento ou namoro, no entanto é algo que as pessoas têm o direito de fazer em situações dramáticas, como as de estupro ou de gravidez na adolescência. A lei tem que garantir esse direito.”

Sobre a maioridade penal, se declarou contrário a reduzir a idade mínima para a prisão, destacando as condiçōes precárias dos presídios brasileiros.

“Acho que não resolve nada pois apenas superlotaremos as prisões brasileiras”, observou.

Meirelles afirma que sua baixa aceitação entre o eleitorado se deve ao fato de ser pouco conhecido pela população. O último Datafolha mostrou o pré-candidato com menos de 1% das intençōes de voto. Ele defende a união das candidaturas de centro em torno de uma só, mas descarta ocupar o cargo de vice em uma chapa.