Macron ataca Rússia na ONU e critica neutralidade em relação à Guerra da Ucrânia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da França, Emmanuel Macron, usou seu discurso na Assembleia-Geral da ONU nesta terça-feira (20) para fazer duras críticas à Rússia e à invasão da Ucrânia, dizendo repetidamente que o país de Vladimir Putin quer criar uma nova ordem mundial baseada em um novo imperialismo e criticando os governos que se mantêm neutros em relação ao conflito.

"Temos que fazer uma escolha simples, basicamente: a da guerra ou da paz", afirmou. "Uma coisa é certa: há tropas russas dentro da Ucrânia e não há tropas ucranianas na Rússia. Esse é um fato", completou.

Macron reconheceu que todos estão sentindo o impacto do conflito sobre a economia, o preço dos alimentos e da energia, mas conclamou os países presentes na Assembleia-Geral a apoiarem o lado da União Europeia, defendendo que os que se mantêm neutros estão sendo coniventes com a formação de "um novo imperialismo". "Aqueles que dizem que não estão alinhados estão errados, estão cometendo um erro histórico", afirmou. "Não há paz possível aqui."

Segundo ele, negociações de paz só serão possíveis "se a soberania da Ucrânia for protegida" e a Rússia a aceitar "de boa fé".

O líder francês afirmou que a Rússia viola os princípios de segurança coletiva e pavimenta o caminho para outras guerras e afirmou que a França "recusa a impunidade" e "a volta a uma era de imperialismo".

Macron também falou sobre a crise do clima e o impacto das mudanças climáticas e da pandemia especialmente sobre os países mais pobres.