Macron classifica invasão russa da Ucrânia como retorno ao 'imperialismo'

O presidente da França, Emmanuel Macron, declarou nesta terça-feira (20) diante da Assembleia Geral da ONU, que a invasão russa da Ucrânia provocou um "retorno ao imperialismo".

"O que testemunhamos desde 24 de fevereiro é um retorno ao imperialismo e das colônias. A França rejeita isso e trabalhará persistentemente pela paz", declarou em Nova York.

Macron discursou na Assembleia Geral após os aliados russos anunciarem que irão convocar referendos sobre a anexação nas partes ocupadas da Ucrânia, uma medida criticada pelas potências ocidentais.

Os países europeus e os Estados Unidos impuseram sanções radicais à Rússia, mas vários países em desenvolvimento buscaram um meio termo e temem que a crise da Ucrânia eclipse outras preocupações.

"Aqueles que ficam em silêncio agora sobre este novo imperialismo, ou são secretamente cúmplices dele, mostram uma nova forma de cinismo que está quebrando a ordem global, sem a qual a paz não é possível", concluiu Macron.

jri-nr/sct/mlm/am/mvv