Macron pede respeito às instituições brasileiras e apoia Lula

O presidente francês, Emmanuel Macron, pediu, neste domingo (8), "respeito às instituições democráticas" no Brasil e destacou o "apoio inabalável" da França ao presidente Lula, após a invasão de sedes do poder por ativistas bolsonaristas em Brasília.

"A vontade do povo brasileiro e as instituições democráticas devem ser respeitadas! O presidente Lula pode contar com o apoio incondicional da França", tuitou Macron.

Segundo um comunicado do Ministérios das Relações Exteriores francês, "a França condena fortemente a violência em andamento contra três instituições da democracia brasileira: o Congresso, a Presidência da República e a Suprema Corte".

"Esses ataques constituem um questionamento inaceitável do resultado de uma eleição democrática, vencida sem ambiguidade, em 30 de outubro, por Luiz Inácio Lula da Silva, que assumiu suas funções como Presidente da República Federativa do Brasil em 1º de janeiro. A vontade do povo brasileiro, que pronunciou-se de maneira soberana, deve ser respeitada", completou a chancelaria.

"A França manifesta seu apoio ao presidente Lula, eleito democraticamente, e ao seu governo. Ela garante sua solidariedade ao povo brasileiro", concluiu o texto.

Vários legisladores macronistas eleitos, assim como da oposição de esquerda, denunciaram os "ataques da extrema direita", comparando a situação com a invasão do Capitólio, em Washington, por partidários do ex-presidente Donald Trump, em 6 janeiro de 2021.

Centenas de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro invadiram o Congresso, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal em Brasília neste domingo, uma semana após a posse do presidente Lula, cuja eleição eles não reconhecem.

adc-reb/or/mvv/am