Macron sugere nova organização europeia ao admitir que incluir Ucrânia na UE levaria anos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da França, Emmanuel Macron, propôs nesta segunda-feira (9) a criação de um novo tipo de "comunidade política europeia" que permitiria que países de fora da União Europeia, incluindo a Ucrânia e o Reino Unido, se juntassem aos "valores centrais europeus".

A ideia foi citada em discurso ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo, no nordeste francês, no qual o líder recém-reeleito deixou claro que uma eventual entrada da Ucrânia na União Europeia demoraria e que, portanto, seria necessário fornecer a Kiev alguma esperança a curto prazo.

"Mesmo se concedermos a ela [Ucrânia] o status de candidato amanhã, todos sabemos perfeitamente que o processo levaria vários anos, provavelmente décadas", afirmou.

Sobre a nova organização, o francês defendeu que ela estaria aberta a nações europeias democráticas que aderissem aos seus valores centrais em áreas como política e segurança, além de cooperação em energia, transporte, investimento em infraestrutura e circulação de pessoas. Ainda que sem maiores detalhes, a incipiente iniciativa foi recebida com simpatia pelo alemão Olaf Scholz, visitado por Macron nesta segunda.

Os dois participaram de um evento em frente ao portão de Brandemburgo, que estava iluminado com as cores da bandeira ucraniana. Horas antes, ainda na França, Macron disse que a paz no Leste Europeu deve ser alcançada pela via diplomática e sem humilhar a Rússia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos