Macron usa imagem de fotógrafo morto em 2003 para falar de queimadas sob Bolsonaro

***ARQUIVO***BUENOS AIRES, ARGENTINA, 01.12.2018: O presidente da França, Emmanuel Macron, durante uma coletiva de imprensa após participar da cúpula do G20 em Buenos Aires, na Argentina. (Foto: Mario De Fina/Fotoarena/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A foto usada pelo presidente Emmanuel Macron para falar sobre a disparada no número de queimadas na Amazônia não é a atual. A imagem foi feita pelo fotojornalista da National Geographic Loren McIntyre, que morreu em 2003, nos EUA.

McIntyre era um explorador que inclusive dá nome a uma das nascentes do Rio Amazonas, a Lagoa McIntyre, no Peru. 

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) usou a origem da foto para atacar Macron, afirmando que o presidente francês usa questões internas do Brasil para ganho político pessoal. "O tom sensacionalista com que se refere à Amazônia (apelando até p/ fotos falsas) não contribui em nada para a solução do problema".

TTambém via redes sociais, Macron convocava os membros do G7 para discutir a situação das queimadas no Brasil.

Em resposta ao presidente francês, Bolsonaro afirmou que a ideia de tratar do tema amazônico entre membros do G7 "evoca mentalidade colonialista descabida" no século 21.

Uma reportagem da CNN também mostrou que, apesar da Amazônia estar realmente sofrendo com queimadas, várias das fotos compartilhadas nas redes sociais não são atuais, mas de incêndios passados.

A matéria cita os exemplos do ator Jaden Smith, filho de Will Smith, e do youtuber Logan Paul. Ambos compartilharam uma imagem de incêndio antigo na Amazônia.

Leonardo DiCrapio também usou uma foto que não é atual --a mesma publicada por Macron.

Em alguns casos, há também fotos circulando que não são de queimadas na Amazônia.