Madrasta suspeita de envenenar enteado culpou filho pelo crime, diz polícia

Encontrado na casa, chumbinho é um veneno ilegal contra ratos, mas que ainda segue sendo comercializado popularmente. (Foto: Getty Images)
Encontrado na casa, chumbinho é um veneno ilegal contra ratos, mas que ainda segue sendo comercializado popularmente. (Foto: Getty Images)

Cintia Mariano Dias Cabral, presa suspeita de intoxicar o enteado, Bruno, de 16 anos, citou o filho biológico como responsável pelo envenenamento dele e da irmã Fernanda, 22, que morreu em março —ela ficou mais de uma semana internada com os mesmos sintomas apresentados por Bruno. A informação é do portal UOL.

No início das investigações, Lucas contou que a mãe havia confessado o crime e, segundo a Polícia Civil, a informação foi importante para solicitar o pedido de prisão temporária contra Cintia.

Ainda de acordo com o portal UOL, o filho biológico da mulher também revelou que a mãe deu querosene para outro enteado, em 2002. A criança tinha 6 anos na época.

Em carta aberta publicada no domingo (29) nas redes sociais, Lucas falou sobre o caso pela primeira vez. Ele afirmou que foi pego de surpresa quando soube que a mãe o citou como responsável pelo envenenamento.

Além disso, disse sentir “nojo” e “vergonha”, mas com a sensação de dever cumprido. Ele falou ainda que deseja que sua mãe “pague por tudo que fez” e que “a justiça seja feita”.

O caso

Cintia foi presa depois que Bruno deu entrada no Hospital Municipal Albert Schweitzer com tonteira, língua enrolada, babando e com coloração da pele branca.

Os sintomas apareceram após comer um prato de feijão feito e servido pela mulher que mantinha um relacionamento conjugal com seu pai.

Segundo os depoimentos prestados na delegacia, durante o almoço, em que foram servidos ainda arroz, bife e batata frita, estavam presentes, o casal, os dois jovens envenenados, uma filha de outro casamento do pai dos jovens, dois filhos e uma neta da suspeita.

Na ocasião, o adolescente reclamou que o feijão estava com gosto amargo e o colocou no canto do prato. A madrasta então levou o prato de volta a cozinha e colocou mais comida.

Após a refeição, o estudante foi deixado na casa da mãe, Jane Carvalho Cabral, que minutos depois ligou para o ex-marido contando dos sintomas apresentados pelo filho. Levado ao hospital, o jovem foi submetido a uma lavagem gástrica e teve a intoxicação exógena diagnosticada pela equipe médica.

Cintia também é suspeita de envenenar a enteada, a irmã de Bruno, em março deste ano. Fernanda Cabral morreu depois de apresentar os mesmos sintomas que o irmão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos