Maduro anuncia conversas para abrir 'escritório de interesses' EUA-Venezuela

Manifestação em favor do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em 26 de janeiro de 2019 em Caracas

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou, neste sábado (26), o início de negociações com os Estados Unidos para abrir "escritórios de interesses", similar ao que havia em Cuba, para manter um nível mínimo de relação após a ruptura de laços diplomáticos.

Quando se completa o prazo de 72 horas dado aos diplomatas americanos para deixarem o país, Maduro disse que concordou em "iniciar as negociações para, em 30 dias, estabelecer um escritório de representação de interesses entre o governo dos Estados Unidos e do governo da Venezuela".

"Foram iniciadas (conversas) com o senhor Jimmy Story, que exercia a função como encarregado de negócios da embaixada na Venezuela para estabelecer uma modalidade de representação de interesses da Venezuela em Washington e dos Estados Unidos na Venezuela", explicou o presidente em um ato transmitido pela televisão.

Seria - segundo ele - um escritório "com um pessoal mínimo" e similar ao que, "durante muitos anos, funcionou em Cuba".

Na quarta-feira, Maduro anunciou a ruptura de relações com os Estados Unidos, depois que Washington reconheceu o líder do Parlamento de maioria opositora, Juan Guaidó, como presidente interino da Venezuela.

No dia seguinte, o presidente venezuelano foi um passo adiante e ordenou o fechamento da embaixada venezuelana em Washington e de todos os consulados em território americano.

Venezuela e Estados Unidos não têm embaixadores desde 2010.