Maduro diz ter controle da Venezuela e estar aberto a negociar com EUA

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em 14 de janeiro de 2020

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que se mantém em seu cargo e que está aberto a negociações diretas com os Estados Unidos - conforme entrevista publicada no sábado (18) pelo jornal "The Washington Post".

Esta foi a primeira entrevista de Maduro a um importante jornal americano desde fevereiro do ano passado, quando expulsou, abruptamente, todos os jornalistas da Univision do país.

"Se houver respeito entre os governos, não importa o quão maior sejam Estados Unidos. E, se houver diálogo, uma troca de informação verdadeira. Então, estejam certos de que podemos criar um novo tipo de relação", disse Maduro ao "Post".

Ele garantiu que está pronto para negociar com Washington o fim das sanções impostas pelo presidente Donald Trump. A medida foi adotado pelos EUA para asfixiar a indústria petroleira venezuelana e obrigar Maduro a deixar o poder.

Se Trump suspender as sanções, as companhias petroleiras americanas poderão se beneficiar enormemente do petróleo da Venezuela, destacou.

"Uma relação de respeito e diálogo traz uma situação, na qual todos ganham. Uma relação de confrontação traz uma situação, na qual todos perdem. Essa é a fórmula", afirmou Maduro.

O presidente venezuelano também manifestou sua disposição a dialogar com o líder da oposição Juan Guaidó, mas pareceu rejeitar a principal demanda do oponente: sua renúncia.