Maduro ressalta 'desastre sanitário de Bolsonaro' ao despachar oxigênio da Venezuela para Manaus

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante entrevista coletiva em Caracas

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, se referiu à situação da falta de oxigênio para pacientes da Covid-19 em Manaus como um "desastre sanitário de Jair Bolsonaro".

O comentário do mandatário da Venezuela foi feito em uma aparição na televisão estatal, no domingo (17), durante o despacho de um comboio de caminhões que transportavam o suprimentos de oxigênio de emergência para o estado brasileiro.

“Vamos ver um vídeo que vamos compartilhar com vocês sobre esse caso do Brasil e da situação alarmante, alarmante do nosso povo-irmão do Brasil frente ao desastre sanitário de Jair Bolsonaro”, afirmou Maduro.

Os veículos chegaram à fronteira na manhã desta segunda-feira (18), em meio ao colapso do sistema de saúde em Manaus.

Leia também

De lá, os caminhões --com cerca de 136 mil litros de oxigênio, suficientes para encher 14 mil cilindros-- levariam 14 horas para chegar a Manaus, capital do Amazonas, cujo sistema hospitalar está sobrecarregado por conta da pandemia.

“Se algo deve vir em primeiro lugar entre nós, cristãos, neste momento, é a solidariedade”, disse Maduro, um socialista que tem uma relação tensa com o governo Bolsonaro. “O povo brasileiro deve saber que estamos dispostos a ajudar o Brasil o quanto pudermos e ainda mais.”

com informações da agência Reuters