Maduro unifica taxa de câmbio e desvaloriza moeda venezuelana em 96%

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ditador venzuelano, Nicolás Maduro, anunciou nesta sexta-feira (17) a unificação das taxas de câmbio do país. A nova taxa passa a ser atrelada a uma criptomoeda, que por sua vez é ligada ao preço do petróleo. Com a medida, a moeda do país na prática foi desvalorizada em 96% em relação ao dólar. 

Maduro disse que o petro, a criptomoeda criada por ele no início do ano, passa a definir, além do câmbio, também o salário mínimo e as pensões. Um petro vai valer US$ 60 (R$ 235) ou 360 milhões de bolívares. 

Assim, US$ 1 (R$ 3,92) passa a valer 6 milhões de bolívares, taxa equivalente à que é usada no mercado negro e que desvaloriza a moeda do país em 96% em relação ao valor atual da taxa oficial Dicom, de 284.832 bolívares para US$ 1, segundo a agência Reuters. 

Desde 2003 a Venezuela tem controles estritos sobre o câmbio, que economistas apontam como uma das principais causas da crise econômica do país, estando na raiz da hiperinflação e da desvalorização da moeda.