Mãe de brasileiro preso no Líbano defende filho: 'É um guri do bem, de família'

Casal desaparecido foi encontrado na capital libanesa - Foto: Arquivo Pessoal
Casal desaparecido foi encontrado na capital libanesa - Foto: Arquivo Pessoal

A mãe de Igor Antônio dos Santos Cabral, de 26 anos, detido com a namorada Juliana Nunes do Nascimento, de 31 anos, no Aeroporto Internacional de Beirute Rafic Hariri, no Líbano, está aflita por notícias concreta do filho e afirma que ‘ele é um guri do bem, de família'.

Moradores de Carazinho, no Norte do Rio Grande do Sul, o casal estava desaparecido desde dezembro quando foi para São Paulo para fazer compras.

Claudete dos Santos, mãe de Igor, passou mais de dez dias sem notícias do filho, no entanto, recentemente a família recebeu notícias do Consulado do Brasil em Beirute, no Líbano, país onde o jovem está detido conforme divulgado pela polícia.

Segundo informações do portal UOL, apesar de não informar o motivo da detenção, Claudete conta que, por e-mail, os representantes brasileiros comunicaram a situação de Igor.

"Disseram que está tudo bem com ele. Ele está abalado, mas está bem”, disse ela ao UOL.

No entanto, a motivação da detenção segue sendo um mistério para a família, que não entende como Igor chegou até o Líbano. Conforme a mãe do jovem, a última vez que teve notícias do filho foi em 18 de dezembro, um dia antes de ele ser preso.

Segundo a mãe do jovem, a viagem não foi informada para a família, e que nunca se envolveu em nada ilegal.

"Ele sempre foi muito carinhoso, ele é um guri do bem, de família. Trabalhava até 'numa' empresa da cidade vizinha, como metalúrgico", contou Claudete.

O contato com o filho, segundo Claudete, deve acontecer nos próximos dias, para conseguir entender o que aconteceu. Segundo a mãe do jovem, é preciso um cartão específico de telefonia local para realizar a chamada.

A suspeita da família de Igor é que ele não foi até o país estrangeiro por vontade própria. O pai do jovem, Josimar Ferreira Cabral, disse que espera que as investigações realizadas no Líbano expliquem o que houve com o filho.

"Não sabemos em que circunstâncias ele foi para lá. Eu acho que ele foi obrigado." Josimar, pai de Igor.

O casal foi preso no momento em que tentavam entrar no país com aproximadamente 1 kg de cocaína no estômago. Caso o crime de tráfico internacional de drogas, o casal pode pegar uma pena de até oito anos de prisão.