Magalu compra plataforma de conteúdo pop e chega a sexta aquisição em menos de dois meses

Carolina Nalin
·2 minuto de leitura

RIO - Uma semana após anunciar a aquisição de uma empresa de tecnologia para refinar o algoritmo de seu aplicativo, o Magalu anunciou a compra de mais uma plataforma. Nesta quarta-feira, a varejista comunicou a aquisição do Jovem Nerd, plataforma multimídia voltada para o público nerd e geek. É a sexta compra da companhia em menos de dois meses e a 17ª desde o início de 2020.

Fundado por Alexandre Ottoni e Deive Pazos, o Jovem Nerd produz conteúdo para a internet há 19 anos, com foco em temas como da cultura nerd e pop, como cinema, quadrinhos, séries, games, história, ciência, internet e tecnologia. A plataforma se destaca pelo pioneirismo na produção de podcasts desde 2006 e teve o primeiro programa a ultrapassar 1 bilhão de downloads no país.

O vice-presidente de negócios do Magazine Luiza, Eduardo Benjamin Galanternick, explica que a compra faz parte da estratégia de ampliar a audiência e as vendas do Magalu, mas ressalta que a aquisição deve ser considerada mais como uma “conexão” do que integração.

— Na medida em que a gente consegue trazer esse conteúdo para dentro do aplicativo, o superapp fica mais relevante, o cliente vem mais vezes e isso tem o potencial de se converter em vendas de forma geral.

O investimento se insere em uma estratégia mais ampla da gigante do varejo de ganhar espaço na disputa acirrada do e-commerce, onde concorre com empresas como Mercado Livre, Via Varejo e B2W.

A saga por quem chega mais rápido ao cliente e quem tem as melhores soluções - desde logística até meios de pagamentos e plataformas de conteúdo - tem levado a varejista a uma estratégia agressiva na aquisição de pequenas empresas inovadoras.

Desde janeiro de 2020, o Magalu já comprou 17 empresas, entre fintechs, plataformas de conteúdo, delivery, logística e outros.

Cade confirma compra de hub pelo grupo

Também nesta quarta-feira, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a aquisição da Hub Prepaid pela Magalu Pagamentos, do grupo Magazine Luiza. A operação, que era contestada pelo Mercado Pago, foi aprovada por unanimidade pelos membros do conselho.