Magno Malta lança pré-candidatura ao Planalto

O senador Magno Malta (PR-ES) entregou nesta terça-feira, 18, uma carta ao presidente do PR, senador Alfredo Nascimento (AM), pedindo para ser candidato à Presidência da República em outubro pelo partido. Num ato realizado no gabinete da liderança da legenda no Senado, com a presença de senadores e correligionários, ele se colocou à disposição do PR para concorrer ao Palácio do Planalto.

No rápido discurso, Malta empunhou a bandeira da melhoria da segurança pública, com especial enfoque na PEC 300 (proposta que estabelece um piso salarial nacional para policiais), na redução da maioridade penal e na adoção da prisão perpétua para condenados a crimes como pedofilia, narcotráfico e corrupção. Na carta entregue ao presidente do PR, ele disse que quer promover um grande debate público sobre as principais questões que "inflamam a crescente onda de violência urbana".

"Presidente da República deve agir com o coração de mãe, quando tem dois filhos e apenas um cobertor, com carinho, divide com os dois para que não sofram com o frio", escreveu o parlamentar capixaba, que também fez o anúncio de que pretende rodar o Brasil para tentar viabilizar sua candidatura. Evangélico, ele disse que recebeu "uma palavra" de um apóstolo conhecido para que ele postulasse o cargo em outubro.

O senador do PR negou ter a intenção de causar constrangimento ao partido, que faz parte da base aliada da presidente Dilma Rousseff e tende a apoiar a reeleição dela. "Não há demérito participar da base. Demérito é ser subserviente. E isso não sou", afirmou ele, no ato acompanhado pela mulher, a deputada e cantora gospel Lauriete (PSC-ES) e de aliados políticos.

Ao receber a carta, Alfredo Nascimento disse ter sido surpreendido com o pedido de Malta. O presidente do PR disse que, embora o parlamentar capixaba se enquadre nas condições necessárias para concorrer ao Planalto, a eventual candidatura própria ou a aliança política só será definida pela Executiva Nacional do partido em abril ou maio. "Este não é um assunto que tem que ser decidido agora", afirmou Nascimento. Ele fez questão de ressaltar que a iniciativa de Malta é pessoal e reconheceu que a aliança com Dilma em outubro é mais provável.

Atualmente, a legenda comanda o Ministério dos Transportes. Em 2010, o PR formou a chapa do candidato derrotado ao Planalto, o ex-governador José Serra. "(A aliança com Dilma) tem um passo à frente, mas não quer dizer que é isso", afirmou Nascimento. Mesmo no mais provável cenário de não concorrer ao Planalto, Magno Malta não ficará sem mandato. Ele ficará no Senado até janeiro de 2019.

Carregando...

YAHOO NOTÍCIAS NO FACEBOOK

Siga o Yahoo Notícias