Maior autoridade religiosa da Arábia Saudita classifica homossexualidade como "crime hediondo"

·1 min de leitura

O "mufti" Abdelaziz Al-Sheikh, a maior autoridade religiosa da Arábia Saudita, chamou a homossexualidade nesta quarta-feira (22) de um dos "crimes mais desprezíveis que existem", no momento em que o reino muçulmano ultraconservador gasta bilhões para melhorar sua imagem em todo o mundo.

Abdelaziz Al-Sheikh se pronunciou sobre o tema apenas alguns dias depois que o embaixador saudita nas Nações Unidas rejeitou uma menção à homossexualidade em uma resolução da Assembleia Geral sobre a democracia, segundo a mídia oficial do país.

"O crime de homossexualidade é um dos crimes mais hediondos aos olhos de Deus", disse o "mufti", a mais alta autoridade religiosa do reino.

“Os autores deste crime” carregam consigo “vergonha e infâmia”, acrescentou Al-Sheikh em comunicado citado pela agência de notícias oficial saudita, a SPA.

Segundo ele, os direitos humanos residem “primeiro na lei de Deus”, denunciando “os impulsos desviantes que semeiam a corrupção no mundo”.

"Identidade de gênero"

O embaixador da Arábia Saudita nas Nações Unidas disse na sexta-feira que as expressões "identidade de gênero" e "orientação sexual" eram "contrárias à identidade árabe e islâmica histórica" ​​de seu país.

A homossexualidade é ilegal na monarquia do petróleo do Golfo, que aplica uma forma ultra-rígida de "sharia", a lei islâmica.

O reino mantém uma aura de dominação importante em todo o mundo muçulmano, abrigando os lugares mais sagrados do Islã, as cidades de Meca e Medina (oeste).

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Ong questiona parcialidade de Justiça turca às vésperas de audiência sobre assassinato de jornalista
Heptacampeão Lewis Hamilton disputa GP da Arábia Saudita com capacete nas cores da bandeira LGBTQI+
Macron defende polêmico encontro com príncipe saudita suspeito de ter mandado assassinar jornalista

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos