Maior ladrão de cargas da Baixada responde a 100 processos na Justiça e tem 53 mandados de prisão pendentes

Carolina Heringer
Jefferson está foragido

Apontado pela Polícia Civil como o maior ladrão de cargas da Baixada Fluminense, Jefferson de Almeida Silva, de 31 anos, tem uma ficha criminal extensa. Ele responde a 100 processos criminais e possui contra ele ao menos 53 mandados de prisão pendentes. O levantamento foi feito pelo EXTRA no site do Tribunal de Justiça. Jefferson das cargas, como é conhecido, está foragido desde outubro de 2016. O Disque-Denúncia oferece recompensa de R$ 1 mil por informações sobre o seu paradeiro.

Todos os processos respondidos por Jefferson são por crimes de roubo ocorridos em Duque de Caxias, na Baixada. O local de atuação preferido da quadrilha integrada pelo criminoso é a Rodovia Washington Luís e as cargas visadas são as mais variadas. O grupo é acusado de ter roubado um caminhão que transportava brinquedos em dezembro de 2017.

Jefferson está nas ruas desde junho de 2016. Na ocasião, ele deixou o presídio pela porta da frente, após conseguir progressão para o regime aberto. A Vara de Execuções Penais (VEP) permitiu que o criminoso cumprisse a pena em casa. Como, na época, o estado estava com o fornecimento de tornozeleiras eletrônicas suspenso, ele foi liberado sem o monitoramento.

Um mês depois ter conseguido o benefício, o criminoso protagonizou, segundo as investigações, o roubo de uma carga de perfumes avaliada em mais de R$ 6 mil.

 

Os processos respondidos por Jefferson são relativos a crimes ocorridos desde junho de 2016, após ele ter saído da cadeia. Ainda não há sentença em nenhum deles, pois a maioria encontra-se suspenso, já que o criminoso está foragido. O Código de Processo Penal prevê que caso não se consiga citar o acusado sobre um processo no qual ele é réu, a ação fica suspensa e o prazo para a prescrição do crime deixa de contar. Quando o criminoso for preso, todas as ações prosseguem.

O EXTRA analisou os 100 processos respondidos por Jefferson. Em 33, os juízes indeferiram os pedidos de prisão. Em alguns deles, o argumento foi de que a solicitação havia sido baseada apenas em reconhecimento por fotografia do criminoso pela vítima feito na delegacia, prova considerada frágil. Em outros 53, a Justiça determinou a prisão do criminoso. Nas outras 14 ações, não foi possível obter dados sobre pedidos de prisão do acusado.

Quem tiver informações sobre Jefferson pode entrar em contato com o Disque-Denúncia no (21) 2253-117 ou no WhatsApp, pelo número (21) 98849-6099.

O roubo da carga de brinquedos aconteceu na Rua Tenente José Dias, em Caxias. O motorista do caminhão e seu auxiliar relataram à polícia que trafegavam pela via, quando foram interceptados por um um veículo. De acordo com a denúncia do Ministério Público estadual, Jefferson, ao lado de um comparsa que não foi identificado, ameaçou as vítimas usando armas de fogo.

Os dois criminosos determinaram que o motorista dirigisse o caminhão para uma rua e ordenou que ambos desembarcasse. Um dos bandidos assumiu a direção do veículo e eles fugiram. A carga era avaliada em R$ 37 mil.

Em agosto de 2014, Jefferson foi preso transportando uma carga roubada junto com outros quatro comparsas. De acordo com as investigações da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), responsável pela prisão, o grupo era especialista em roubar eletrodomésticos. Os policiais ficaram três meses acompanhando os passos do grupo até conseguirem pegá-los em flagrante. Os agentes localizaram a carga roubada em uma oficina no bairro Pilar, em Caxias.