Maioria dos países da UE apoia teste de Covid antes de voos que partem da China

Comissária de Saúde e Segurança Alimentar da UE, Stella Kyriakides

BRUXELAS, 3 Jan (Reuters) - A maioria dos países da União Europeia é a favor da introdução de testes de Covid antes da partida para viajantes oriundos da China, disse a Comissão Europeia nesta terça-feira, enquanto Pequim planeja suspender as restrições de viagem para seus cidadãos, apesar de uma onda de infecções pela doença.

A abordagem unida da UE surgiu após uma reunião na terça-feira do Comitê de Segurança da Saúde, um órgão consultivo da UE, composto por especialistas nacionais em saúde dos 27 países da UE e presidido pela Comissão.

"A esmagadora maioria dos países é a favor de testes antes da partida", disse um porta-voz da Comissão. “Essas medidas precisariam ser direcionadas aos voos e aeroportos mais apropriados e executadas de maneira coordenada para garantir sua eficácia”.

A Comissão preparou na terça-feira um projeto de proposta para as negociações, que incluía uma recomendação para o uso de máscaras em voos da China, monitoramento de águas residuais para aeronaves chegando da China, vigilância genômica em aeroportos e aumento do monitoramento e sequenciamento e maior vigilância da UE em testes e vacinação.

"Isso agora será revisado e adotado com base na contribuição dos Estados-membros (da UE)", disse o porta-voz da Comissão, acrescentando que mais conversas sobre as medidas ocorreriam em outra reunião de autoridades de saúde da UE na tarde de quarta-feira.

O porta-voz disse que todos os países da UE concordaram que precisam de uma abordagem coordenada para a mudança da situação na China e para lidar com as implicações do aumento de viagens da China para a Europa depois que a China suspendeu suas rigorosas políticas de pandemia em 8 de janeiro.

O Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças disse na semana passada que atualmente não recomenda medidas para viajantes da China.

O órgão diz que as variantes que circulam na China já estavam na União Europeia, que os cidadãos da UE têm níveis de vacinação relativamente altos e o potencial de infecções importadas era baixo em comparação com as infecções diárias na UE, com as quais os sistemas de Saúde estão lidando.

(Reportagem de Jan Strupczewski e Benoit Van Overstraeten)