Mais de 10 milhões de ucranianos estão sem eletricidade diz Zelenskyy

A Rússia continua a visar, nos seus ataques com mísseis, infraestruturas cruciais na Ucrânia, entre elas uma barragem.

Com bombas a caírem perto da Central Nuclear de Zaporíjia, desde fevereiro e com a Rússia e a Ucrânia a acusarem-se mutuamente, a Agência Internacional da Energia Atómica aprovou uma terceira resolução apelando ao Kremlin para "cessar imediatamente todas as ações" nas instalações nucleares ucranianas.

Na quinta-feira, o Presidente ucraniano dizia, no seu discurso diário, que 10 milhões de pessoas estavam sem fontes de energia. Volodymyr Zelenskyy referia que as consequências dos ataques com mísseis contra a Ucrânia "se sentem todos os dias". Acrescentando que houve, "novamente", cortes de energia "para além dos planeados".

A defesa antiaérea ucraniana tem desempenhado um papel fulcral e muito eficaz na resposta à invasão russa, mas é posta à prova quando se intensificam os ataques de Moscovo. Kiev tem conseguido impedir as forças russas de assumirem o controlo do espaço aéreo, mas os aliados da Ucrânia estão conscientes de que o sistema de Defesa terá de ser reforçado se quiserem fazer frente aos ataques russos.

A chegada do general inverno à Ucrânia

Mas nenhum sistema de defesa aérea é capaz de bloquear todos os ataques, e os desafios aumentam quando começa a nevar em várias cidades ucranianas, entre elas Kiev e falta eletricidade.

Apesar disso, na capital ucraniana há quem acredite será mais um inverno ao qual vão sobreviver. Natalya, uma organizadora de eventos, dizia que o poder de crer é de tão forte que vão ultrapassar a estação fria. Consciente de que as ameaças são grandes, à medida que o inverno se aproxima de Kiev, acrescentava que as dificuldades serão muitas mas que, sem dúvida, vão superá-las.

Voluntários apoiam Kherson

Em Kherson, os voluntários estão a dar apoio aos habitantes locais com o fornecimento de alimentos, cobertores e outros bens de primeira necessidade.

A gerente de um café referia que o objetivo principal é voltar a ter eletricidade. Conseguiram sobreviver aos últimos quase nove meses portanto, continuarão a viver durante o inverno.

No terreno, peritos ucranianos em desminagem abrem o caminho para que os técnicos possam reparar uma linha eléctrica danificada durante os combates na região. Após meses de combates, vive-se uma corrida contra o tempo para reparar infraestruturas. Um trabalho que decorre mais lentamente e de forma mais desgastante já que os soldados russos deixaram um rasto de minas terrestres que têm de ser desativadas.