Mais de 103 mil se vacinam contra sarampo em 'Dia D' de campanha no Rio

Fila no Centro de Saúde Heitor Beltrão, na Tijuca, no Dia D Nacional de Vacinação contra o Sarampo

RIO - A Prefeitura do Rio de Janeiro informou que 103.027 pessoas foram vacinadas no 'Dia D' da campanha de imunização contra o sarampo, neste sábado (15).

A adesão, que foi considerada um "sucesso" pela Secretaria Municipal de Saúde, eleva agora para 268 mil o número de doses aplicadas pela vacina neste ano.

A data marcada para concentrar os esforços de aplicação do imunizante ocorreu dois dias depois da confirmação da morte de um bebê em Nova Iguaçu por sarampo. O menino de 8 meses havia falecido em 6 de janeiro.

O estado do Rio enfrenta um surto de sarampo, com 189 casos notificados desde o início do ano. Em 2019 foram 333 casos.

Neste "Dia D", a secretaria antecipou no Rio a oferta de uma dose de vacina para a população entre 15 e 29 anos, independentemente do número de doses anteriores da vacina. Essa é a faixa etária mais atingida pela doença.

Quem ainda não se vacinou pode fazê-lo em uma das 233 unidades de atenção primária da prefeitura, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

A recomendação é que todas as pessoas até 59 anos procurem atendimento médico ou compareçam a um posto de vacinação para checar seu histórico de imunização e verificar se já tomaram as doses necessárias contra o sarampo.

O Dia D da campanha de vacinação ocorreu em escala nacional, mas o Ministério da Saúde ainda não havia divulgado um balanço para o país todo até a publicação desta reportagem. A meta nacional é vacinar 3 milhões de crianças e jovens na faixa etária de 5 a 19 anos até 13 de março quando acaba a campanha. A União diz ter providenciado 3,9 milhões de doses da vacina tríplice viral aos estados.

São Paulo, estado com maior número de casos de Sarampo em 2019, afirma ter conseguido vacinar cerca de 12.900 pessoas, desde o início da campanha, sendo que 9.900 destas buscaram imunização no 'Dia D'. A secretaria estadual da saúde disse que 270 mil pessoas procuraram atendimento, mas a maioria já estava com a vacinação em dia.

A vacina é contraindicada para bebês com menos de 6 meses. A recomendação do estado para os pais de crianças nessa faixa etária é evitar exposição a aglomerações, manter higiene e ventilação adequada no ambiente do bebê e procurar imediatamente atendimento se acriança apresentar sintomas da doença.

Os sinais de alerta são manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite e manchas brancas na boca.