Mais de 156 milhões estão aptos a votar para presidente; 12 estados escolhem governadores

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21/09/2022, BRASIL - CARREGAMENTO E LACRAÇÃO DAS URNAS ELETRÔNICAS. (Foto:Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21/09/2022, BRASIL - CARREGAMENTO E LACRAÇÃO DAS URNAS ELETRÔNICAS. (Foto:Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os brasileiros vão às urnas neste domingo (30) para escolher quem vai comandar o país pelos próximos quatro anos, em capítulo histórico da democracia do país.

Mais de 156 milhões de pessoas estão aptas a votar em uma eleição que promete ser apertada. Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (29) aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 52% dos votos válidos na véspera da eleição, contra 48% do atual mandatário, Jair Bolsonaro (PL).

Como a diferença entre Lula e Bolsonaro na nova pesquisa está no limite máximo da margem de erro, uma situação de empate é improvável, segundo o instituto de pesquisa.

Além do presidente, governadores de 12 estados serão decididos no segundo turno das eleições. São eles: Alagoas, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

Assim como no primeiro turno, para votar é necessário apresentar apenas um documento de identificação oficial com foto. A apresentação do título de eleitor não é obrigatória. Também é possível votar com a versão digital do título, obtida no aplicativo e-Título.

Todas as regiões do país votam juntas, das 8h às 17h de acordo com o horário de Brasília. Os eleitores estão distribuídos em 5.570 cidades brasileiras, além de 181 municípios no exterior.

O segundo turno deverá ter filas menores para votação. Pelo menos segundo as expectativas do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). No primeiro turno, a espera em algumas localidades chegou a horas e levou a um atraso no início da totalização dos votos.

O tribunal aponta o aumento da capacitação de mesários como a principal medida tomada para evitar a formação de filas no segundo turno. Outro ponto que deve impactar é o menor número de cargos em disputa.