Mais de 20 pessoas são presas em protestos nos EUA durante a apuração dos votos

·2 minuto de leitura

Manifestantes entraram em confronto com a polícia em ao menos seis cidades dos EUA entre a noite da eleição e a manhã desta quarta-feira. Mais de 20 prisões foram relatadas, à medida que aumentam a tensão social, incertezas sobre a apuração e ameaças de litígio.

Treze mulheres e um homem foram presos em Minneapolis, no estado do Michigan, depois de marcharem pelas ruas da cidade, pichar prédios locais e disparar fogos de artifício, incluindo alguns supostamente dirigidos à polícia. O grupo também parece ter provocado incêndios nas proximidades, disse o porta-voz da polícia, John Elder.

O grupo carregava uma placa dizendo “Os EUA acabou” como parte de um protesto contra a brutalidade policial antes das prisões, de acordo com o Minneapolis Star Tribune. Eles foram acusados de “provável causa de tumulto”, e uma das mulheres também foi acusada de agressão de quarto grau.

Em Portland, no Oregon, mais de 300 manifestantes foram às ruas protestar, alguns deles brandindo o que pareciam ser rifles e pistolas, de acordo com as autoridades policiais. Enquanto alguns gritavam slogans anti-Trump, a marcha parecia ser uma continuação das manifestações diárias que Portland teve desde o assassinato de George Floyd pela polícia de Minneapolis em maio.

No centro de Los Angeles, na Califórnia, o Departamento de Polícia declarou ilegal uma aglomeração enquanto os manifestantes tentavam bloquear a Rodovia Interestadual 10. Respondendo a uma denúncia de tiros disparados e uma possível facada, as autoridades encontraram um homem com um ferimento na cabeça. Ele foi transferido para um hospital, de acordo com o porta-voz da polícia, Tony Im.

A polícia de Seattle, em Washington, também fez cerca de oito prisões por interferência de pedestres, obstrução, agressão a um policial, direção imprudente e prejuízo criminoso. A polícia ordenou a dispersão dos manifestantes no bairro Capitol Hill da cidade, onde fica a sede do governo americano, o Capitólio, o Senado, a Câmara dos Representantes e a Suprema Corte.

Protestos também foram dispersados pela polícia em Chicago, no estado de Illinois, e em Graham, na Carolina do Norte, onde prisões foram feitas depois que alguns dos cerca de 200 manifestantes atiraram fogos de artifício e outros itens contra os policiais.

A coalizão Proteja os Resultados organizou mais de 520 manifestações para esta quarta-feira em todos os EUA, após Trump se declarar vencedor antes de todos os votos serem contados e dizer que vai à Suprema Corte para parar a contagem dos votos enviados pelo correio, sugerindo que as pessoas estariam votando depois do prazo, o que não é verdade.