Mais de 25 mil pessoas usaram ônibus intermunicipal gratuitamente em SP neste domingo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Setpesp (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de São Paulo) afirma que mais de 25 mil pessoas se beneficiaram no estado de São Paulo da gratuidade das passagens rodoviárias intermunicipais entre a 0h e as 23h59 deste domingo (30), quando aconteceu o segundo turno das eleições gerais.

A estimativa do sindicato é de um custo de R$ 6 milhões pelos bilhetes emitidos, que serão pagos pelo governo estadual.

Segundo o presidente do Setpesp, Gentil Zanovello, o movimento seguiu a média dos domingos anteriores e não houve transtornos. "Todos os eleitores encontraram passagens para seus destinos nesse domingo do segundo turno", afirmou. Segundo Zanovello, foram 820 partidas com o total de 25.349 passageiros.

As empresas exigiram nome, RG e CPF para a emissão de cada bilhete, como forma de apresentar a prestação de contas para o governo estadual posteriormente.

O sindicato afirmou que as empresas foram pegas de surpresa com a publicação do decreto nas vésperas das eleições. Zanovello disse também que, a partir de agora, deverá ser comum esse tipo de medida nos próximos pleitos.

"Acredito que veio para ficar e seja repetido. A gente pede que seja comunicado com antecedência mínima de uma semana, para que possamos colocar frota e motorista à disposição, bem como para que os passageiros também fiquem sabendo", afirmou.

Segundo o presidente do Setpesp, havia a preocupação de uma grande demanda principalmente na ligação entre a capital paulista e o litoral. "Tudo transcorreu com tranquilidade. As empresas conseguiram atender com presteza", disse.

O Setpesp representa 71 empresas, que são responsáveis por transportar 120 milhões de passageiros por ano.

Durante o domingo, a reportagem encontrou nos terminais intermunicipais de São Paulo pessoas que não sabiam da gratuidade para as viagens para outras cidades paulistas.

No Terminal do Tietê, houve fila no horário do almoço deste domingo para pessoas que pretendiam retirar bilhete para cidades do Vale do Paraíba e Litoral Norte. De forma geral, os passageiros ouvidos pela reportagem aprovaram a gratuidade durante o segundo turno, principalmente por facilitar o acesso da população de baixa renda.

Na última semana, o governo estadual estimou em R$ 11,5 milhões os custos para bancar as gratuidades no Metrô, CPTM, EMTU e ônibus intermunicipais.

A Prefeitura de São Paulo também concedeu o passe livre no transporte público municipal, com custo estimado de R$ 7 milhões. Segundo a SPTrans, foram colocados à disposição 2.000 ônibus a mais que em um domingo comum.