Mais de 3.000 pessoas desapareceram em travessias marítimas para a Europa em 2021, diz ONU

Imigrantes são desembarcados por policiais e agentes de fronteira em Dungeness, no Reino Unido

GENEBRA (Reuters) - Mais de 3.000 refugiados, imigrantes e requerentes de asilo morreram ou desapareceram no ano passado enquanto tentavam chegar à Europa através das rotas marítimas do Mediterrâneo e do Atlântico, mostrou nesta sexta-feira um relatório da agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU).

Shabia Mantoo, do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), disse em uma coletiva de imprensa em Genebra que o número de 2021 representou quase duas vezes o número de vidas perdidas no ano anterior.

"Estamos vendo os aumentos dispararem", disse ela. "É alarmante."

(Reportagem de Emma Farge)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos