Mais de 50% dos europeus terão contraído a ômicron em dois meses, prevê OMS

·1 min de leitura

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está preocupada com a alta transmissibilidade da ômicron, que provoca um verdadeiro “tsunami” de contaminação na Europa. Se o ritmo atual de transmissão for mantido, mais de 50% da população do continente europeu terá contraído a variante em no máximo dois meses, advertiu a instituição nesta terça-feira (11).

"Nesse ritmo (...), prevê-se que mais de 50% da população da região terá sido infectada com a variante ômicron nas próximas seis ou oito semanas", disse o diretor da região Europa na OMS, Hans Kluge, em entrevista coletiva. Ele destacou que essa variante apresenta várias mutações "capazes de se fixarem mais facilmente nas células humanas". Por isso, ela afeta pessoas que já tiveram a Covid-19 ou já foram vacinadas.

A região Europa da OMS é composta por 53 países e vai até a Ásia Central. Nesta área, foram registrados 7 milhões de novos casos de Covid-19 na primeira semana de 2022. Segundo dados da organização, 26 países da região relataram nessa segunda-feira (10) que mais de 1% de sua população foi infectada a cada semana.

Kluge afirmou que essa transmissão "sem precedentes" do vírus se traduz em um aumento nas internações hospitalares, mas não no aumento da mortalidade.

No entanto, a nova onda de contágios "é um desafio para os sistemas de saúde e para o atendimento hospitalar em vários países onde a ômicron se propaga em alta velocidade. Ela também ameaça sobrecarregar a situação em outras nações", salientou o diretor.


Leia mais

Leia também:
Estratégia da França de "renunciar a controlar ômicron" é arriscada, diz jornal
Ômicron continuará a matar e "não é boa notícia", alerta virologista americano
Ômicron faz Paris declarar estado de emergência sanitária na Guiana Francesa, na fronteira com Brasil

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos